O MEU PLEXO SOLAR

O MEU PLEXO SOLAR
O meu plexo solar

outubro 16, 2006

CRIANÇAS : UM PRESENTE DE SONHO

Crianças e adolescentes que sofrem violência...vítimas do sistema social e das relações interpessoais. Hoje são agredidas...amanhã tornar-se-ão agressoras. Um facto que existe desde os tempos mais remotos da história da humanidade. No presente, é um aspecto complexo e infindável...

O lar aparece como o local mais privilegiado para a prática da agressão, não falando dos abusos sexuais praticados no ambiente familiar e que poucos chegam a público. Existe igualmente o abuso psicológico, abandono e negligência.
( Deidades que protegem as crianças)


Muitos são jogados para a rua!!! A sua vivência significa andar de mão dada, todos os dias, com a violência e a morte... estigmas dos futuros insurectos da sociedade.
A prostituição, a exploração do trabalho, a escravatura, o aborto...completam o quadro!!!

O que fazer?!

É difícil, mas não impossível. Prevenção da violência, participação da sociedade civil e de sectores governamentais...em conjugação com todo o trabalho desenvolvido pelas organizações não governamentais, que operam por esse mundo fora.


Qual o caminho?


"...quando a mão arrogante insiste em apoderar-se do outro, deixa de ser seda para se tornar garra, fracassando o encontro e abrindo-se para a incorporação (do outro). A singularidade é devorada. A possibilidade de diálogo desaparece. A ternura é substituida pela violência...ser ternos com o mundo e os objectos implica inverter o manejo, desistir de agarrar, exercitar o jogo do Colher e Soltar, sem querer nunca apoderar-se do outro".(Restrepo, 19993 in " El Saber de La Ternura").


MADRE TERESA DE CALCUTÁ

" O mundo que Deus nos deu é mais do que suficiente... para todos; existe riqueza mais do que sobra para todos. Só é questão de reparti-la bem, sem egoísmo. Não regeitarei uma criança. Encontrarei uns pais para elas.Ninguém tem o direito de matar um ser humano que vai nascer; nem o pai , nem a mãe, nem o estado, nem o médico. Ninguém... Se todo o dinheiro que se gasta para matar fosse gasto em fazer com que as pessoas vivessem, todos os seres humanos vivos viveriam muito bem e muito felizes...

As crianças são o melhor presente ... mas o homem no seu egoísmo, nem aprecia este dom."

Diz ainda Teresa de Calcutá:

"...vivíamos num tugúrio, nos arredores de Calcutá, na região mais miserável da cidade. Eu buscava alimento entre os desperdícios , não tínhamos nada, mas amava aquelas crianças e elas eram felizes, porque sabiam -se queridas. Sou mãe de milhares de crianças abandonadas.Tenho-as recolhido do lixo das ruas. Tenho-as recebido da polícia, dos hospitais onde foram rejeitadas palas mães. E vou levando-as para diante".

Os que Teresa conseguiu salvar...ficam com ela...com as suas seguidoras." A natureza foi cruel com elas, mas são FILHOS de DEUS e têm toda a necessidade de carinho! São os meus PREDILECTOS! "

(Retirado do livro "Madre Teresa de Calcutá", de Miguel Angel Veloso, Editora Quadrante, 1996 )



Este post é um comentário ao post "Filhas de Um Deus Menor"-O Alquimista- que retrata as crianças abandonadas e que vivem em condições degradantes.
Obrigada por te lembrares ...delas! Estas palavras pertencem-te.

Para ti com um beijinho
d