O MEU PLEXO SOLAR

O MEU PLEXO SOLAR
O meu plexo solar

abril 20, 2013

ETERNO JOGO



Na cálida noite em tenebroso nevoeiro, jogo xadrez aventureiro, sem rima e sem talento. Jogo por jogar, num emaranhado tabuleiro, sem regras e sem cor. Aqui da Ilha pouco se vê e sente...passa a noite em quadrados brancos, um ou outro peão faminto e que se apressa em busca de uma côdea de pão bolorento, que lhe dará energia para transportar as armas do seu senhor. Passa, mais lá em baixo, junto à margem, o bispo fiel aos seus compromissos, em apressados passos, rezando a ladainha dos infiéis! Ao longe a torre ilumina-se com archotes, cuja sombra se inclina sobre o rio, amedrontando as águas gélidas e profundas de pedras soltas que, em tempos, caíram da torre durante a batalha dos ímpios! Ao pé da cerca do jardim, a rainha sentada de lenço na mão, mirando-o e embelezando-se com o que resta da exploração dos pobretanas, que exploravam as terras a troco de meio alqueire de trigo carunchoso e meia sardinha! O rei, esse glorioso e de coroa eterna enfaixada nos cabelos, de cálice ensanguentado do mais puro vinho na mão, faz planos sobre as táticas das próximas batalhas e qual a cor do inimigo a abater...mas é louco...alucinado... e amigo de um conselheiro de baixa nobreza, que lhe agrada com sorrisos falsos em gestos de peralta ,em troca de uma cadeira cravejada de inveja, em sumptuosos banquetes, onde impera a carne abatida no reguengo que tanto estima. Vitorioso do seu passado, que entre lágrimas, vai recordando...apercebe-se que os moinhos do Dão não se movem...Restam os cavalos, robustos e fartos da crueldade de quem os educou! Saltaram as cercas e fazem o verdadeiro jogo, na grande planície verdejante, que suspira pela primavera...
Fico no penedo, pensando e observando este bando imaturo e insano e lembrando-me que, um dia ... (texto do Anjo da Ilha do Dão)
Beijinho doce:) e bom 25 de Abril 

abril 06, 2013

LEVANTO-ME ...


"A chuva intensa
Cola o meu cabelo na minha face
Um olhar vazio é tudo o que me resta

As estrelas que, uma vez iluminaram o meu caminho apagaram -se
O céu ficou cinzento
O caminho uma vez tão claro
Desapareceu

Bem-aventurados são os dias em que a vida é intensa e clara
Não vacilo ou duvido
Eu sei o caminho

Eles são os dias, que esperei
Nunca pisei esta estrada
A Faísca que eu tinha
Parece que morreu

Levanto-me e luto
Levanto-me e olho para a luz,
Empurro as nuvens para longe ...
Levanto-me e luto
Levanto-me e vejo o céu ficar brilhante
Luto por um dia melhor ...

Que alívio seria acabar com tudo isto
Como é fácil balançar a bandeira branca e desistir
Mas irei fugir hoje apenas para morrer num outro dia
Desistir agora e cada luta seria em vão.
 (...)
Levanto-me !
Cheguei até aqui
Não sou uma perdedora
Mais uma vez
Mais uma tentativa

A chuva intensa,
Cola o meu cabelo na minha face.
(...)

Levanto-me e luto!

Luto! luto!
Levanto-me e luto !

A vida por vezes não nos sorri.Mas sou eu que tenho que sorrir para a vida.Ela espera por mim.Vou até ao fim... A vida é o meu campo de batalha e a minha espada é de Luz.Não desisto.Caio , mas levanto-me, com esforço e dores no meu corpo.O meu chacra cardiaco fica danificado, mas trato-o.
Com força vouuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu!!!!!!!!!!!

Música- Turisas in Stand Up And Fight